ATÉ QUANDO A CULPA SERÁ NOSSA?

Quem não gostaria de dizer que o mundo está mudando, que as pessoas estão evoluindo e que o respeito já é parte do nosso cotidiano?

Sem querer generalizar, mas já generalizando: o mesmo pensamento construído pelo patriarcado não muda. O que a gente vê é a transformação do discurso, mudança na escolha das palavras, mas a mensagem é sempre a mesma.

A insegurança e ego masculino agem e reagem violentamente contra todas as mulheres que ousam feri-los, mesmo que sem intenção.

No último domingo, o participante que ganhou a prova do líder do BBB21 usou um clássico pensamento machista e patriarcal para justificar o seu voto.

 

Se ela fosse leal ao cara que ela está ficando aqui na casa, ele não pensaria duas vezes em dar esse colar para ela.

 

Rodolffo explica que vai indicar a Carla Diaz porque a culpa do anjo (namorado da atriz dentro do programa) não ter dado imunidade a ela é dela, porque ela não foi leal primeiro.

O cantor não citou as situações que o levaram a afirmar que Carla não foi leal a Arthur. Mas na cabeça dele, se ele não foi leal a ela, só pode ser porque ela não foi leal primeiro e deve sair da casa por isso.

A justificativa da indicação me doeu a ponto de eu mesma me culpar de não ter percebido os traços machistas do cantor antes.

Esse sentimento de culpa feminino é uma rotina e nos consome diariamente. “Não segui minha intuição” “Não deveria ter confiado nele” “Eu que deveria ter falado de outra forma” são exemplos clássicos de frases que pairam nas nossas cabeças depois que outra pessoa comete um erro conosco.

Essa semana é o paredão falso na casa do bbb21, mas a indicação deles é verdadeira e machuca. A retaliação do cantor sertanejo Rodolffo ao suposto comportamento desleal da atriz Carla Diaz é um gatilho para as mulheres que já abriram os olhos pra esse tipo de comportamento, comum em homens e mulheres influenciados pelo sistema patriarcal.

A justificativa da indicação me doeu a ponto de eu mesma me culpar por não ter percebido os traços machistas do cantor antes.

Esse sentimento de culpa feminino ainda nos consome diariamente.
“Devia ter seguido a minha intuição”
“Não deveria ter confiado nele”
“Eu que deveria ter falado de outra forma”
São alguns exemplos de frases que pairam nas nossas cabeças depois que outra pessoa comete algum erro conosco.

Até quando os homens vão culpar as mulheres por erros de outros homens? Até quando vão tentar nos diminuir e nos rebaixar para se sentirem superiores e se manterem no poder? Até quando teremos que provar nossa força e nosso valor para nos equipararmos a eles?

Já passou da hora de entenderem que é tempo de crescer e assumir os próprios erros. Ninguém precisa pegar na mãozinha pra explicar! Os meus panos estão acabando, e os seus?

Isabela Ramalho

Empreendedora e entendedora de futilidades, apaixonada por tecnologia, autoconhecimento e fotos em tons pastéis.