Plano Feminino Hersheys

“ESPELHO ESPELHO SEU!”

A importância da autoimagem na realização pessoal e profissional.

O modo como você se vê influencia suas relações pessoais e profissionais.

 

Autoimagem é a descrição que o ser humano tem de si próprio, também denominado “self”, sendo a parte valorativa dele chamada de autoestima. 

 

As pessoas mais confiantes têm uma autoestima valorizada, pois crescem ouvindo suas qualidades ao invés de seus defeitos. Entretanto, não há uma regra, às vezes os padrões sociais e autocrítica excessiva podem prejudicar a nossa autoestima.

 

Portanto, nossa percepção de nós mesmas em relação à percepção externa pode ser muito mais crítica e dificilmente enxergamos nossas qualidades de forma que elas superem os nossos defeitos.

 

A PNL, programação neurolinguística, estuda as mudanças de pensamentos e a percepção própria sobre nós mesmas, explicando que quando mudamos nosso pensamento e nossas emoções conseguimos transformar a nossa postura perante os outros.

 

Ao falar sobre nós mesmas, raramente exaltamos as nossas virtudes, de forma que pareçamos humildes e humanizadas e acabamos evidenciando nossas falhas e defeitos em vez de relembrar tudo aquilo que fazemos de melhor.

 

Podemos estar nos prejudicando com toda essa falsa modéstia, uma vez que a maneira como nos vemos tem influência na percepção dos outros. Além disso, uma autoimagem positiva pode nos trazer autoconfiança e amor próprio e, como consequência disso, pode despertar a confiança de terceiros em nós.

 

Assim que viramos essa chave em nosso mindset, temos mais segurança na nossa imagem pessoal e na que passamos para os outros, e dessa forma podemos nos concentrar em outras responsabilidades linguísticas como por exemplo a linguagem corporal e a comunicação.

 

Para mudar o modo como nos vemos e nos posicionamos perante os outros, devemos entender que há características nossas que gostamos e devemos valorizar e há também aquelas que gostaríamos que fosse diferente e devemos entender se há como melhorá-las ou finalmente aceitá-las, aprendendo a enxergá-las de uma forma positiva.

 

Podemos começar valorizando aquelas qualidades que amamos em nós. Por exemplo, se você gosta da sua mão, use algum acessório que chame a atenção para a sua mão. Se você gosta do seu cabelo, cuide dele de uma maneira que as outras pessoas percebam como você o valoriza.

 

Aceitar os nossos defeitos não deve ser uma etapa traumatizante no processo da valorização da autoimagem. Simplesmente há aspectos que não conseguimos mudar, mas não devemos nos ver de maneira negativa diante desses aspectos por mais que nos incomodem. Há muito mais qualidade em nós do que defeitos e ao valorizar as qualidades nós nos posicionamos de forma positiva e confiante.

 

Devemos nos desapegar da aprovação externa e dos padrões impostos para nós, de modo que consigamos impor novos padrões visuais e comportamentais, valorizando as nossas próprias características. Impor a nossa essência e a nossa versatilidade como forma de abrir portas para nós mesmas no espaço comunitário e incentivar os outros a nos admirarem.

 

Quando unimos nossos pensamentos positivos em relação a nós mesmas com a boa energia fluindo em nossas vidas, somos capazes de nos valorizar ao mesmo tempo que influenciamos as pessoas à nossa volta.

 

Na medida em que nos vemos mais bonitas, mais interessantes e mais positivas, conseguimos ajudar outras mulheres a se verem assim também, criando uma corrente de autovalorização e positividade.

Redação

Produzido por uma equipe cheia de Planos para compartilhar.