É CRINGE SER NORMIE?

Nas últimos horas, uma nova trend se instalou no twitter: CRINGE, e como toda boa e velha trend já tem gente usando ela de legenda ou hashtag para qualquer tipo de conteúdo que não tem nada a ver com a palavra em questão. E isso é muito Normie!

A problemática não é usar e abusar das trends para fazer um conteúdo “subir” a fim de ganhar a visibilidade que tanto buscamos.


Mas quando fazemos isso, podemos estar contaminando os mecanismos de pesquisa, as lutas urgentes das minorias e a seriedade de algumas informações.

 

A trend em torno da palavra CRINGE, não se apresenta como um problema já que a temática é uma gíria millenial, utilizada para se referir ao que é antiquado, vergonha alheia ou desconforto do que nos remete ao passado.

Isso exemplifica um comportamento NORMIE, mais uma expressão pra gente aprender, daquelas que trazem um alívio no peito só por existir, mostrando que há uma percepção maior em torno do que temos observado até então, sozinhas.

Denomina-se “normies” as pessoas que fazem uso de uma trend sem se importar com o conteúdo em si, só para permanecer no topo de buscas e no feed de cada um dos milhares de seguidores.


Eu mesma estou sendo normie escrevendo esse texto, mas é a metonímia que eu encontrei para exemplificar um comportamento tão corriqueiro nos dias de hoje!

Devemos nos restringir a sermos normies apenas quando o tema é leve, para não desmerecer ou flopar a luta de ninguém.

Vamos juntas!!

Isabela Ramalho

Empreendedora e entendedora de futilidades, apaixonada por tecnologia, autoconhecimento e fotos em tons pastéis.